Monthly Archives

Setembro 2017

Citibrain: A chave para a monitorização inteligente do ar do Porto

By | Artigos | No Comments

Em 2015, a cidade do Porto adotou standards FIWARE, tornando-se capaz de recolher e agregar dados de diferentes fontes. Posteriormente, o Citibrain – um consórcio português focado em soluções inteligentes para smart cities – ficou responsável pela instalação de 75 estações de qualidade de ar, capazes de monitorizar em tempo real as condições ambientais.

Como uma cidade claramente inovadora, o Porto tem servido de base para vários projetos inovadores destinados a desbloquear o potencial das tecnologias em contextos urbanos. Para além disso, faz parte da iniciativa Open and Agile Smart Cities (OASC) que, de acordo com o website, é “uma iniciativa global que liga cidades, defendendo padrões e partilhando as melhores práticas”.

Em anos transatos, a cidade investiu numa plataforma aberta para integrar todas as soluções de IoT e dados recolhidos pelos diferentes projetos implementados, com o principal objetivo de conseguir suportar standards abertos capazes de integrar as várias soluções de múltiplos vendedores, não ficando dependente de um só. Como Filipe Araújo – Vereador da Inovação e Ambiente do Município do Porto – explicou, “integrar várias soluções de diferentes empresas sem ter standards abertos não seria possível”. Assim, no início de 2015, a Cidade do Porto adotou standards FIWARE (uma comunidade global open source, nascida com o apoio da UE), tornando-se capaz de armazenar e partilhar  os dados recebidos (sobre tráfego, qualidade do ar, condições atmosféricas, fluxos de transporte, entre outros) de diferentes vendedores, de forma uniformizada e interoperável. Adicionalmente, foi capaz de fornecer APIs abertas para programadores, ferramentas de gestão para autarcas, live dashboards e aplicações para cidadãos.

Este foi o momento certo para empresas com soluções inteligentes contribuírem para melhorar o ecossistema criado pela Cidade do Porto, já que os dados das diferentes fontes poderiam ser agora relacionados e integrados, graças ao FIWARE. O Citibrain aproveitou a oportunidade para fornecer a sua solução Smart Air Quality, na qual se incluem as estações de qualidade de ar e uma plataforma web SaaS (“Software-as-a-service” ou “Software como Serviço”). No entanto, esta é mais do que uma forma estacionária de monitorizar a qualidade do ar. As estações recolhem dados sobre a qualidade do ar (CO, CO2, NO2, O3, VOCs e Partículas), temperatura, humidade, luminosidade e radiação solar, poluição sonora, precipitação, velocidade do vento e direção. Comunicando através da rede wi-fi pública da cidade, conseguem integrar-se com a plataforma de dados abertos (open data) mencionada anteriormente.


Estação de monitorização da qualidade do ar no Porto, Portugal

O grau de interoperabilidade da solução inovadora do Citibrain, permitiu que esta interagisse com outras soluções de IoT, criando uma rede de sistemas capaz de monitorizar e controlar toda a dinâmica da cidade. É através da implementação do standard aberto NGSI que  define como se gere o contexto numa smart city (ex: como se publica os dados gerados pelos dispositivos, assim como como se acede e se recebe notificações quando os dados são atualizados). Isto abre portas para que um ecossistema de aplicações seja desenvolvido através de iniciativas tecnológicas – como novas estratégias e soluções tecnológicas na cidade – relacionando os dados sobre a qualidade do ar obtidos, através do sistema Smart Air Quality, com os diferentes dados das outras soluções tecnológicas (como, por exemplo, da gestão de tráfego, de eventos turísticos, ou mesmo do planeamento de viagens multimodal).

A Cidade do Porto, ao investir nesta área, não só melhora a sua imagem e a sua reputação como uma cidade moderna e inovadora, mas também atrai mais investimento e empresas. Uma melhor qualidade do ar leva a uma melhor qualidade de vida, algo tido em consideração aquando da avaliação das cidades para rankings de qualidade de vida (ex: Bloom Consulting). A monitorização, em tempo real, da qualidade do ar, sensibiliza os cidadãos para a importância de respirarem um ar mais limpo, levando a uma mudança de comportamento (por exemplo: passar a utilizar menos o carro para reduzir emissões de CO2, optando por transportes públicos) que, por sua vez, ajuda a reduzir a  probabilidade de doenças crónicas e mortes prematuras. O Município, com os dados e informações disponíveis, pode adotar estratégias e políticas ambientais adequadas, por forma a preservar o planeta Terra e o património da cidade para futuras gerações.

Em conclusão, por um lado, o Porto tornou-se capaz de monitorizar todos os cantos da cidade através das múltiplas estações instaladas nos autocarros, sendo os resultados transmitidos em tempo real para o sistema central. Desta forma, os autarcas do Porto passaram a conseguir tomar decisões e de agir de imediato, por forma a melhorarem a sua cidade. Por outro lado, o projeto teve também várias vantagens para o Citibrain e para o seu ecossistema. Com esta implementação, o consórcio provou que a sua solução Smart Air Quality encontra-se num nível operacional, validando a sua eficiência e eficácia para o desafio proposto. Isto resultou num aumento do nível de resiliência tecnológico e provou que a solução tecnológica respeita os standards FIWARE, algo cada vez mais popular entre municípios e concursos públicos. Por último, novos projetos representam sempre novas oportunidades de enriquecimento de conhecimento, o que fez com que Citibrain ganhasse know how e experiência.

Pode aceder ao live dashboard aqui.

Dashboard web com a informação geolocalizada disponível através de standards e tecnologia FIWARE